Dicas: Febre reumática: o que é, causas, sintomas e tratamento

Posted on

Esta inflamação é causada devido a uma infecção da bactéria Streptococcus, que leva a sintomas como dor de garganta (faringite) e febre chamada febre reumática.

O problema começa com uma pessoa que sofre de uma doença cardíaca sintomas chamada febre reumática quando era criança. Em geral, pacientes com lesões das válvulas cardíacas provocadas por quadro anterior de febre reumática são aqueles com maior risco (leia: FEBRE REUMÁTICA | Sintomas e tratamento). A doença de válvula cardíaca infecciosa causa mudanças em suas válvulas devido a doenças como a febre reumática ou infecções. Febre reumática: rara nos Estados Unidos e outros países desenvolvidos, esta doença pode ocorrer sem tratamento imediato ou completo de uma infecção por estreptocástica – danificando as válvulas cardíacas. Existe controvérsia quanto ao aparecimento tardio ou súbito da doença cardíaca reumática, especialmente a estenose mitral, em pacientes que tenham tido só coréia sem evidências de cardite. encontraram 27% apresentando doença valvar mitral após 29 anos.4,13 Em muitos destes pacientes, não havia recorrências reconhecidas de febre reumática. A febre reumática pode ser confundida com uma variedade de doenças que causam sintomas e sinais cardíacos e articulares. Além disso, é bem sabido que a doença reumática valvar, quando estabelecida, pode progedir na ausência de febre reumática recorrente.4,13,14,77 Mesmo assim, o trabalho de Tompkins e cols. sugere que a maioria das doenças valvares mitral e aórtica reumáticas resulta da recorrência não identificada da febre reumática e isto é prevenível.91

Colonização bacteriana assintomática da próstata em espondiloartrite axial ou outras doenças reumáticas inflamatórias crônicas

  • Estenose mitral leve;
  • Estenose mitral moderada;
  • Estenose mitral grave.

O retorno pleno à atividade deve ser adiado até seis a oito semanas, tempo que leva na maioria dos pacientes para que a febre reumática desapareça.

Copyright © 2000 eHealth Latin America I07 Doenças reumáticas da valva tricúspide A doença da válvula mitral refere-se a condições da valva mitral. Se a válvula mitral se tornar inflamada ou de outra forma prejudicada por esta condição, ela leva à condição cardíaca crônica chamada doença cardíaca reumática. Pacientes com estenose aórtica reumática invariavelmente apresentam acometimento reumático da valva mitral. A causa mais frequente de valvulopatia é a febre reumática, uma doença auto-imune desencadeada por uma infecção bacteriana. A causa mais predominante de estenose mitral é a doença reumática do coração, de forma mais rara a estenose pode ser congênita. Ainda que a insuficiência mitral grave possa ser tolerada por muitos anos, a lesão eventualmente causa disfunção do ventrículo esquerdo. Na insuficiência mitral crônica as principais causas são febre reumática, prolapso da valva mitral, endocardite infecciosa, doença coronária e donças vasculares do colágeno. A forma unicúspide causa obstrução severa sendo a principal causa de Estenose Aórtica fatal em pacientes abaixo de 1 ano. A ausência de sinais e sintomas de congestão pulmonar num portador de estenose mitral leva a suspeita da presença de estenose tricúspide.

LIGA PORTUGUESA CONTRA AS DOENÇAS REUMÁTICAS – ENVELHECIMENTO E DOENÇAS REUMÁTICAS

  • pelo grau de regurgitação mitral
  • pela velocidade da sua progressão
  • pelo grau de hipertensão pulmonar
  • pela magnitude da disfunção contrátil do ventrículo esquerdo

Há anos, a febre reumática costumava ser a causa mais frequente da insuficiência mitral.

De longe a causa mais freqüente é a febre reumática, embora em muitos casos não haja história dessa doença que deve ter passado despercebida. Para evitar contrair essa doença o paciente pode mudar hábitos alimentares e controlar o colesterol, principal causador de doenças cardíacas. Uma válvula pode eventualmente apresentar os dois tipos de anormalidades de uma forma simultânea ( ex : uma insuficiência mitral associada a uma estenose mitral ) , o que chamamos de dupla lesão valvular . I. ESTENOSE MITRAL A) Etiologia A febre reumática é a principal causa de estenose mitral, e cerca de dois terços dos pacientes com estenose mitral reumática são do sexo feminino. A cicatrização da inflamação proveniente da febre reumática, por fim, causa espessamento e encurtamento das cúspides e das comissuras da válvula mitral, com fusão e encurtamento concomitantes das cordoalhas tendinosas. Raramente a malformação congénita da válvula pode causar estenose mitral, e a estenose mitral congénita quase nunca é uma lesão cardíaca isolada. A lesão a este feixe de condução durante a operação valvular aórtica pode criar um bloqueio de ramo I. ESTENOSE AÓRTICA A) Etiologia Qual e a mais frequente causa? Significância dos processos reumatismais Apesar de o processo mais frequentemente ser idiopático, a febre reumática pode afetar a válvula aórtica em um processo similar ao que ocorre na válvula mitral. Etiologia A principal etiologia da Estenose Tricúspide (ET) é a cardiopatia reumática crônica e na maioria das vezes ocorre em associação com a estenose mitral.

Febre reumática aguda e doença cardíaca reumática Entre Crianças – Samoa Americana, 2011-2012

  • o reparo valvular mitral
  • a troca valvular mitral

A doença reumática, apesar de afetar mais frequentemente e com maior gravidade a válvula mitral, pode afetar também as outras válvulas.

((MayoClinic)) A principal causa da estenose da válvula mitral é uma infecção chamada febre reumática, que está relacionada com infecções por estreptococos, principalmente na garganta. A febre reumática – rara nos Estados Unidos mas muito frequente no Brasil e em outros países em desenvolvimento – pode causar uma lesão e uma cicatriz na válvula mitral. Causas de estenose da válvula mitral incluem: Uma complicação de infecções na garganta, a febre reumática pode danificar a válvula mitral. A febre reumática é a causa mais comum de estenose da válvula mitral. Os pacientes com insuficiência mitral secundária, a doença reumática apresentam ainda com frequência bem mais elevada fibrilação atrial. Nestes casos, o uso de um antibiótico pode prevenir o desenvolvimento de febre reumática e consequente lesão das válvulas cardíacas. A insuficiência aórtica luética, lesão da valva aórtica (detalhe da figura), geralmente, ocorre em pacientes mais idosos com a doença cardiovascular, presumivelmente devido a longa duração da doença nestes indivíduos. Além disso, analisaremos a avaliação e o tratamento dos pacientes com a combinação mais freqüente de doença multivalvar, a doenças valvar aórtica e mitral. ● A febre ou endocardite reumática é uma doença que ocorre quando a bactéria que causa dores de garganta (um estreptococo) não é eleiminada.

A alimentação pode desempenhar um papel extremamente importante no alívio da fibromialgia e de outras patologias do foro reumático

Postado em 17/03/2013 por Medportal A estenose mitral (EM) é uma doença valvar de etiologia principalmente reumática, que ainda causa morbidade e mortalidade significantes.

A principal causa de EM é cardiopatia reumática, com alterações reumáticas presentes em 99% das válvulas mitrais retiradas cirurgicamente. A estenose aórtica na ausência de doença da valva mitral levaria sempre à suspeita de uma origem não-reumática da lesão valvar aórtica. Em alguns indivíduos a estenose de valva mitral pode desenvolver-se logo após um episódio de febre reumática e tornar-se sintomática durante a infância ou a adolescência. Essa lesão incomum é freqüentemente confundida com a doença da valva mitral reumática, particularmente a estenose mitral. Os sintomas dos pacientes são menos claramente correlacionados com a severidade da doença valvar do que na estenose mitral. Anos atrás, a principal causa era a febre reumática. As causas incluem valva bicúspide congênita e calciflcação senil progressiva da valva normal com três cúspides; a febre reumática, raramente ou nunca, causa estenose aórtica isolada. No Brasil, a insuficiência valvar aórtica de natureza reumática é a principal causa. Febre reumática é uma doença inflamatória que pode ocorrer alguns dias após um episódio de faringite por estreptococos do grupo A, sendo freqüente em crianças de 5 a 15 anos.

A manifestação mais comum da febre reumática não tratada, é doença valvar fibrótica deformante, principalmente da válvula mitral, que se não tratada pode levar a morte.

1- Dificilmente febre reumática acomete a válvula aórtica sem comprometer também a valva mitral 2- Dificilmente febre reumática dá estenose aórtica pura, sem insuficiência aórtica isolada. Quando a cirurgia é realizada, a função ventricular melhora significativamente, indicando que o mecanismo principal era a lesão valvar e não o comprometimento miocárdico como causa da insuficiência cardíaca. A fibrilação atrial causada pela “síndrome do nódulo sinusal doente”, por exemplo, pode indicar que a causa dos sintomas do paciente é mais a própria arritmia ou uma doença isquêmica. Regurgitação mitral – Tal como na estenose mitral, a causa é frequentemente a febre reumática, mas o doente geralmente é um homem adulto. As doenças desta válvula incluem: Estenose tricúspide – Esta é geralmente causada por um episódio de febre reumática que habitualmente lesa em simultâneo a válvula mitral. Regurgitação mitral – Esta doença valvular causa principalmente sintomas de insuficiência cardíaca, em particular dificuldade respiratória. A pancardite de origem reumática pode acometer endocárdio, manifestando-se em surtos agudos como insuficiência de válvula mitral e aórtica e, ao longo da evolução da doença durante anos, em estenose. É importante a realização do ecocardiograma em toda criança com suspeita da Febre Reumática, já que a lesão pode ser pequena e não aparecer no exame físico feito pelo médico. A lesão da válvula causa o característico sopro cardíaco que permite ao médico diagnosticar a febre reumática. Os sintomas da cardiopatia reumática dependem do padrão de lesão valvar e da valva acometida. Uma complicação muito frequente nos pacientes que possuem lesão reumática da valva mitral é o desenvolvimento de arritmias como a fibrilação atrial.